NOTÍCIAS Voltar >

CEMITÉRIO DO COMBATE EM EREBANGO, UM PEDAÇO DA NOSSA HISTÓRIA

Publicado em 29/08/2019, Por Assessoria de Imprensa

Tombado pelo governo municipal de Erebango como Patrimônio Histórico, o Cemitério do Combate é um dos pontos turísticos mais importantes da região Norte do Rio DO GRANDE SUL.

O confronto das tropas revolucionárias comandadas pelo General Felipe Portinho.

E governista sob a liderança do Coronel Filho.

 Ocorreu no dia 13 de setembro de 1923, com mortos e feridos de ambos os lados. A revolução de 1923, última guerra civil em solo gaúcho, não teve vencedores.

O tratado de Pedras Altas pôs fim ao CONFRONTO iniciado em janeiro daquele ano e a Constituição Estadual foi modificada, acabando com a reeleição dos governadores.

Passados mais DE 95 anos desde o combate ocorrido na então Fazenda Quatro Irmãos, a simpatia entre os simpatizantes de Ássis Brasil e Borges de Medeiros ainda se dividem. Se no passado, os ideais e interesses eram disputados com armas em punho, agora se manifestam através do lenço branco e DO LENÇO VERMELHO pendurados ao vento, lado a lado.

 

Hoje queremos também contar em forma de poesia um pouco dessa história:

 

CEMITÉRIO DO COMBATE

(Autor: Ervino Zinke)

Cemitério muito velho, abandonado,

Que só a estrada passa ao lado,

Onde só existem finados.

Este velho Cemitério não é do tempo do império.

Onde muitos heróis tombaram em batalhas de ferro quente,

Morreram muitos gaúchos valentes, que hoje nem são lembrados.

Este velho campo santo, rodeado de capim,

Que a noite é visitado por tatu e graxain.

Só no dia de finados que você é lembrado,

Por alguns velhos parentes de nossos antepassados.

Aquela velha cruz de ferro,

Aquela placa de bronze,

Recordam Maragatos e Chimangos

Que vieram nem sei de onde.

Naquelas coxilhas verdes era só bala que tinia e

Relinchos de bagual por ver o sangue que escorria.

Foi em 13 de setembro e no ano vinte e três

Lenço branco e colorado se encontraram desta vez,

Com fuzis e baionetas.

Mas ninguém queria o empate,

É por isso que se chama

CEMITÉRIO DO COMBATE.

 

No último sábado 24 de agosto o Prefeito Valmor Tomazini recebeu a visita dos Cavaleiros do Mercosul, que em cavalgada vieram conhecer o Cemitério. A atual administração incentiva e apoia o resgate de nossa história e nesse mês fez um lindo trabalho de preservação do local, que recebeu pintura, corte de grama, bandeiras e lenços novos.





Imprimir Notícia - Compartilhar no Facebook