NOTÍCIAS Voltar >

Pós covid-19: o recomeço desafiador após mais de 40 dias de internação

Publicado em 19/03/2021, Por Assessoria de Comunicação

O dia 31 de janeiro de 2021 se tornou inesquecível para o erebanguense, Edson Schulz, que, aos 49 anos de idade, se recupera de um grande susto desde o diagnóstico da covid-19. A data se refere a alta médica após 42 dias de internação. Nesse período, o empenho incansável dos profissionais de saúde da região aliado a fé, especialmente em Nossa Senhora Aparecida e as orações de familiares e amigos, foram decisivos para a melhora do quadro clínico. Edson, que é motorista de caminhão, está na expectativa para o retorno às atividades do cotidiano. No entanto, a fase é de continuidade ao tratamento em casa e na companhia da mãe Dorildes, de 85 anos.

Em entrevista ele relata que não possui doença crônica e costumava levar uma vida mais sedentária. Rotina que foi alterada após a alta hospitalar. “Hoje, com 26 quilos a menos, faço caminhadas (por enquanto de forma leve), além de exercícios específicos com o suporte de Fisioterapia (duas vezes por semana)”, pontua.

O erebanguense recorda que, dias antes de iniciar os sintomas da covid-19, trabalhou nos municípios de Erechim, Maximiliano de Almeida, Severiano de Almeida e Ibiaçá. “Quando estava nessa última cidade, comecei a me sentir mal, com fraqueza, dor no corpo, sintomas que só aumentaram no decorrer dia e madrugada. Consegui retornar à Erebango, fui consultar, fiz o exame e resultou positivo. Na sequência recebi a indicação de medicamentos e voltei para casa com a orientação de repouso. Como estava sentindo melhora, trabalhei em casa e depois de alguns dias, retornei ao médico em Estação e ele disse que seria necessário me internar”, comenta. Nesse momento, Edson foi encaminhado a Getúlio Vargas onde ficou menos de 24 horas e foi encaminhado à Erechim, onde, após exames, foi constatado que o estado de saúde era grave. Inicialmente foram seis dias na unidade clínica e depois mais 22 na UTI com sedação. Quando apresentou melhora, passou mais um período no quarto.

Edson precisou passar pelo procedimento de traqueostomia e no início não podia falar. A comunicação era por gestos e escrita. “Sempre aprendemos com tudo o que enfrentamos. Hoje posso dizer que estou bem, ainda superando os problemas no braço e na perna por ter ficado muito tempo deitado de um mesmo lado, durante o período em que fiquei sedado. Foi assim que conseguiram manter a pressão estabilizada e amenizar os sintomas”, salienta.

Ao seu lado estavam muitas outras pessoas, até mesmo com problemas ainda mais graves. “Além de toda preocupação com a saúde física, o emocional fica muito abalado, principalmente porque, mesmo com o ótimo atendimento dos profissionais, não temos os familiares para conversar. Isso é angustiante”, revela.

Alerta à população: cuidem-se!

O motorista erebanguense aproveita para reforçar o pedido a toda população: “Comunidade, é preciso se cuidar! Leve a sério a covid-19, previna-se; caso apresente sintomas, procure atendimento; no momento certo, faça exame; se tiver que ficar em casa, repouse bastante; enfim, siga todas as orientações, porque, quem já enfrentou as complicações da doença, sabe o quanto é desafiador”, ressalta, citando que, mesmo diante do susto, precisou manter a calma. “Sabia que necessitava ficar lá. Ao mesmo tempo, pensava muito na minha mãe e em voltar para casa logo”, completa.

Suporte na recuperação

Desde que voltou para casa, Edson recebe o acompanhamento da equipe médica, de Enfermagem e Fisioterapia do município. Ele enfatiza a gratidão e o carinho aos profissionais, em nome da secretária de Saúde, Claura Araldi. “Só tenho a agradecer, afinal, na situação em que me encontrava, e agora estou conseguindo caminhar e conversar, novamente, já é bom um recomeço”, destaca.

 

 

 





Imprimir Notícia - Compartilhar no Facebook